17 Abril 2024 Publicado em Células Escrito por 

A OPOSIÇÃO AO DISCIPULADO

Avalie este item
(0 votos)

Texto: João 3.12-18

INTRODUÇÃO:

A unção sempre foi perseguida pela oposição. Há uma luta espiritual constante contra todo projeto de Deus. Sabemos que “a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes.” (Ef 6.12 ARA). Se o discipulado é uma ordem de Jesus e Ele promete estar com todos aqueles que lhe obedecerem, qual o motivo de tanta resistência? A pergunta é: o discipulado é importante para o reino de Deus? Se a resposta for sim, então, por que não fazer o discipulado?

01 – SEM PROFUNDIDADE NÃO HÁ MATURIDADE – João 15.12.16

Sem discipulado há um crescimento sem profundidade, sem maturidade, e isso não traz resultado saudável no reino. Infelizmente, há muitas igrejas cheias de pessoas vazias, por falta de maturidade. Quando conseguimos trazer muitas pessoas novas para a igreja, o que conseguimos é, apenas, uma adição numérica. A vontade de Deus não é apenas de que aconteça uma adição numérica, mas uma multiplicação espiritual. Há uma oposição forte a essa unção. Precisamos discipular os novos a fim de que estes atinjam maturidade suficiente para também poderem discipular a outros. E o resultado será a multiplicação.

02 – O CORAÇÃO DO DISCIPULADO É UMA QUESTÃO DE VALORES – João 14.15

Podemos achar várias desculpas para não fazer o discipulado, tais como: falta de tempo, falta de conhecimento, não saber usar o material, entre outras. Porém, apesar destas desculpas terem o seu lado de verdade, elas são apenas a ponta do iceberg. A verdadeira raiz do problema é bem mais profunda. O discipulado vai exigir um esforço que irá revelar o nosso amor por Cristo e pelas almas. Naturalmente, iremos resistir, mas na prática, o discipulado nos dá vida. Há algo sobrenatural nisso. É uma questão de valores. Os princípios e valores do reino de Deus são inegociáveis, e é impossível aplicar os valores cristãos sem passar pela cruz. Ela exige renúncias dos desejos da carne. Quando damos o devido valor ao que é eterno, há um vigor renovado em nossos corações por ganhar almas, batizá-las e discipulá-las. Deus é fiel em todas as suas promessas, e, Ele irá recompensar a cada um segundo as suas obras.

03 – A FÉ E A CONVICÇÃO CAMINHAM DE MÃOS DADAS – Hb 11.1 Mt 16.27

Ter fé em Deus significa crer em tudo o que está na sua Palavra, incluindo as suas promessas. Quem tem fé não fica amarrado ao passado e nem refém das circunstâncias do presente, porém, renova-se, motiva-se, anima-se e jubila-se com a convicção do futuro. Calebe foi esse homem conforme a Bíblia relata em Josué 14.6-14. Porém, a falta de convicção produz ausência de intencionalidade. Há pelo menos cinco razões bíblicas que nos levam a considerar o discipulado algo importantíssimo: 1) Jesus em breve irá voltar; 2) Por voltar em breve, a tarefa mais urgente da igreja deve ser a evangelização; 3) O discipulado é uma chave multiplicadora do reino; 4) No coração do discipulado, acha-se o modelo básico do nosso Mestre e Senhor Jesus Cristo, que iniciou o primeiro discipulado; 5) É uma ordem do próprio Senhor e Rei das nossas vidas.

CONCLUSÃO:

Sabemos que o discipulado é algo produtivo no reino de Deus e devido a isso não lhe faltará oposição espiritual. Porém, como fiéis discípulos de Cristo, temos em nossos corações o desejo ardente de agradar aquele que nos arregimentou. Essa convicção nos leva a investir no discipulado, gerando discípulos maduros, a fim de reproduzirem a outros.

Ler 64 vezes
  • Pr Orimar Carneiro

    Pastor no MiR PBS

    MiR Parauapebas

    Website.: twitter.com/orimarcarneiro

    Deixe um comentário

    Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

    MiR PARAUAPEBAS

    Blog do MiR PARAUAPEBAS