25 Dezembro 2014 Publicado em Para M12 Escrito por 

O QUE PARALISA A CONQUISTA DE UM LÍDER - PARTE FINAL

Avalie este item
(0 votos)

Texto:
“Corríeis bem; quem vos impediu, para que não obedeçais à verdade? Esta persuasão não vem daquele que vos chamou. Um pouco de fermento leveda toda a massa.” (Gálatas 5:7-9)

Verdade Central:
Fazemos parte de uma mesma pescaria. A mesma palavra que é lançada para um é lançada para outro. Por que, então, alguns conquistam e outros estão paralisados?

Introdução:
O que você pensa que pode paralisar a conquista de um líder autêntico e cheio de fé? O pecado, a dúvida, o medo, a frustração, a insegurança, a incredulidade, o desânimo, as fofocas, o coração contaminado... Somos chamados para viver uma vida de retidão, e quando nos envolvemos em uma dessas situações, saímos do que a Bíblia ensina.
Na semana passada, vimos que a mente oprimida fragiliza o líder. Na parte final deste estudo, veremos os outros dois motivos que paralisam a conquista de um líder: um discurso contraditório e um coração distante da promessa.

2. Um discurso contraditório
A Bíblia diz que a nossa palavra deve ser sim, sim; não, não. O que passar disso é de procedência maligna (Mateus 5:37). Fomos chamados para um decreto que não pode ser confundido. “Pois, tantas quantas forem as promessas de Deus, nele está o sim; portanto é por ele o amém, para glória de Deus por nosso intermédio.” (II Coríntios 1:20). Em Jesus, nós temos o amém.
Sua vida não deve ter como característica principal a contradição entre a pregação e a prática. Seu discurso não pode ser equivocado. O que você faria ao seguir um líder que diz uma coisa e faz outra? O que um líder fará se vê contradições no discurso do seu liderado?
Uma conquista é mantida por uma palavra segura, sábia e verdadeira, na qual não há dolo algum. O líder de êxito em suas conquistas deve caminhar de mãos dadas com o discurso e a vivência. Ambos devem andar como um casal unido.
O segredo de Jesus foi falar com autoridade. “Ao concluir Jesus este discurso, as multidões se maravilhavam da sua doutrina; porque as ensinava como tendo autoridade, e não como os escribas.” (Mateus 7:28,29). Ele falava o que vivia e vivia o que falava. Jesus não possuía discurso diferente de atitude e isso O fazia atrair as multidões. Nosso ensino é muito mais importante vivido do que falado.

3. Um coração distante da promessa
“O seu coração está bem firmado, ele não terá medo, até que veja cumprido o seu desejo sobre os seus adversários.” (Salmos 112:8). Todo coração voltado para Deus espera em Suas promessas sem se distanciar dEle. Porém, um coração longe das promessas do Pai não alcança o êxito, por mais que o deseje.
Nosso Deus é um Deus de promessas. E Ele diz: “Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida.” (Provérbios 4:23). O coração fala de sentimento, vontade, desejo, dentre outras coisas. Por isso, a Bíblia diz: “Onde estiver o seu coração aí está o seu tesouro” (Mateus 6:21).
Há mais de 250 referências bíblicas sobre coração, todas relacionadas entre si. Somos uma geração de líderes que precisam ter o coração em Deus, viver para Ele. “Escondi a tua palavra no meu coração para não pecar contra ti.” (Salmos 119:11)
No Salmo 53:1, o salmista denuncia um coração insensato, que não possui sabedoria: “Diz o néscio no seu coração: Não há Deus. Corromperam-se e cometeram abominável iniquidade; não há quem faça o bem.”
Deus quer que tenhamos um coração puro e limpo, livre de toda a imundícia do mundo. “Como na água o rosto corresponde ao rosto, assim o coração do homem ao homem.” (Provérbios 27:19). Ou seja, assim como a água reflete o rosto, o coração reflete quem somos. Por isso, a Palavra diz em Provérbios 15:13: “O coração alegre aformoseia o rosto; mas pela dor do coração o espírito se abate.”
Existem pessoas que têm uma palavra branda, parecem ser tão calmas, mas na realidade não são o que parecem ser. “A sua fala era macia como manteiga, mas no seu coração havia guerra; as suas palavras eram mais brandas do que o azeite, todavia eram espadas desembainhadas.” (Salmos 55:21). Há pessoas que chegam até outras fingindo amar, mas por trás ferem e golpeiam. Isso revela uma falsidade muito grande.
Deus não esquece as promessas que fez, mas o coração do homem, muitas vezes, se distancia delas por causa da enfermidade da alma, colocando a culpa nos outros. (Salmos 77:8-14). Na verdade, cada um deve olhar para dentro de si e perceber o quanto se deixou enfermar.
“Minha alma ainda os conserva na memória, e se abate dentro de mim. Torno a trazer isso à mente, portanto tenho esperança. A benignidade do Senhor jamais acaba, as suas misericórdias não têm fim; renovam-se cada manhã. Grande é a tua fidelidade. A minha porção é o Senhor, diz a minha alma; portanto esperarei nele. Bom é o Senhor para os que esperam por ele, para a alma que o busca. Bom é ter esperança, e aguardar em silêncio a salvação do Senhor.” (Lamentações 3:20-26)
As promessas do Senhor devem estar ativadas em nossa memória. O próprio Deus diz: “Procura lembrar-me; entremos juntos em juízo; apresenta as tuas razões, para que te possas justificar!” (Isaías 43:26). Como lembraremos das promessas se não abrirmos a boca diariamente para proferi-las e lembrá-las ao Pai?
Devemos ser como um bebê dentro do útero da mãe: totalmente dependente. Necessitamos de Deus para tudo em nossa vida e entre nós não deve haver segredo. Não podemos ser restituídos se não lembrarmos a Deus as Suas promessas. A Sua Palavra não mente e Ele mesmo nos pede: lembra-Me. Um coração fora da promessa paralisa a conquista.
O líder que deseja conquistar não deve ter uma alma amarga. É como se a dança estivesse fora do tempo da música. Toda amargura de alma na vida do líder deve ser renunciada para que nada venha impedir suas conquistas. Alegria fora de hora, brincadeiras excessivas em momentos que pedem seriedade revelam fuga de sentimento. É uma forma de se esconder.
Como líderes, precisamos quebrar os jugos opressores sobre o coração, trazendo à memória o que nos dá esperança (Lamentações 3:21). Lembre ao Senhor as promessas e peça o seu renovo, acompanhado de novos decretos.

Conclusão:
Quando um líder vive o que fala, prospera. No discurso bíblico, os líderes que não viveram as promessas entraram em derrota. Aqueles que venceram as adversidades conquistaram o êxito. Precisamos administrar as dificuldades e não deixar o inimigo encontrar brechas.
A Palavra de Deus deve ser lembrada por nós todos os dias. Enquanto estivermos na Terra, devemos andar em novidade de vida, caminhando na revelação do Senhor e lembrando as Suas promessas. É assim que o líder de excelência caminha sempre alcançando novos territórios.
Uma mente oprimida, um discurso contraditório e um coração distante da promessa são fatores que paralisam e impedem uma conquista brilhante. Permita-se ser acolhido por Deus, retendo apenas o que é benéfico para sua vida e ministério.
Deus cumprirá as promessas que fez a você, tão somente não distancie o seu coração do Senhor. Coloque-se diante do Pai e contemple as promessas, veja cada uma delas se cumprindo, uma a uma.

Ler 4264 vezes
Marcado sob
Última modificação em Segunda, 29 Dezembro 2014 16:34
  • MiR

    PARAUAPEBAS

    Ministério Internacional da Restauração em Parauapebas

    Website.: www.mirpbs.com.br

    Itens relacionados (por marcador)

    Deixe um comentário

    Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

    MiR PARAUAPEBAS

    Blog do MiR PARAUAPEBAS